CARTAS

 

 

Apresentamos, nas páginas deste menu, fragmentos das correspondências que Louis Cattiaux manteve com seus amigos, a partir de 1947, selecionados por Emmanuel d’Hooghvorst, Pere Sánchez  e Eléonore d’ Hooghvorst.

 

“O gênero epistolar permite a seu autor liberar-se da formalidade acadêmica, científica ou literária para poder expressar-se de forma direta, espontânea, íntima e, neste caso, sumamente instrutiva para seus destinatários, neste caso, os irmãos Emmanuel e Charles d’Hooghvorst”. (Leia mais em Cartas –> Florilégio Epistolar -> NOTA INTRODUTÓRIA AO FLORILÉGIO EPISTOLAR).

 

“Ao longo de três anos (19 de outubro de 1947 – 10 de outubro de 1950), Louis Cattiaux[1] e René Guénon[2] mantiveram uma relação epistolar do maior interesse para os buscadores de Deus”. (Leia mais em Cartas –> Correspondências entre Louis Cattiaux e René Guénon –> NOTA INTRODUTÓRIA À CORRESPONDENCIA Louis Cattiaux-René Guénon).

 

“Louis Cattiaux e Emmanuel d’Hooghvorst se conheceram em 1949, à raiz da publicação d’ A Mensagem Reencontrada e graças à resenha que René Guénon escreveu sobre esta obra na revista Études Traditionelles, publicada em setembro de 1948”. (Leia mais em Cartas –> Cartas entre Louis Cattiaux e Emmanuel d’Hooghvorst –> NOTA INTRODUTÓRIA ÀS CARTAS ENTRE Louis Cattiaux  e Emmanuel d’Hooghvorst).

 

 

 

 

 



[1] Louis Cattiaux nasceu em Valenciennes, em 17 de agosto de 1904 e morreu em Paris, em 16 de julho de 1953.

[2] René Guénon nasceu em Blois, em 15 de novembro de 1886 e morreu no Cairo, em 7 de janeiro de 1951.