A CRUZ

Carta nº. 86 do Florilegio Epistolar, de Louis Cattiaux[1]

 

 

 

Seleção de Emmanuel d’Hooghvorst

Tradução do espanhol: Regina de Carvalho

 

               

 

            Creio que devemos consumir nossa cruz e logo lavá-la para extrair dela o sal, não?

 



[1] Arola Editors, Tarragona (E), 1999